Banner
Banner

Banner
Banner
Banner
Banner

Banner
Banner
Página Principal

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Glossário Ambiental

Publicado em: Ter, 28 de Setembro de 2010 11:46

Última Atualização em: Seg, 20 de Dezembro de 2010 13:48

Coordenadoria de Mudanças Climáticas

Adaptação
Iniciativas e medidas para reduzir a vulnerabilidade dos sistemas naturais e humanos frente aos efeitos atuais e esperados da mudança do clima.

Adicionalidade
Refere-se aos procedimentos de contabilidade de carbono, em que os projetos devem demonstrar resultados reais, mensuráveis e de longo prazo, com redução e/ou prevenção de emissões de carbono que não ocorreriam na ausência do projeto.

Albedo
Medida da quantidade de radiação solar refletida por um corpo ou uma superfície, sendo calculado como a razão entre a quantidade de radiação refletida e a quantidade de radiação recebida.

Anexo I e Não-Anexo I

O Anexo I da Convenção do Clima é integrado pelos Países que tem compromissos obrigatórios para redução das emissões. Basicamente são os países industrializados.

Os "países não-anexo I", são todos os Países da Conferência do Clima não listadas no Anexo I, são países que não possuem metas quantificadas de redução de emissões.

Aquecimento global
Elevação da temperatura média anual da Terra causada pelo aumento das concentrações na atmosfera dos chamados gases do efeito estufa nos últimos 100 anos. Estes gases alteram as características da atmosfera fazendo com que o calor fique concentrado como numa estufa. Daí vem a expressão “efeito estufa”.

Atmosfera
Camada fina de gases inodora sem cor insípida e presa à Terra pela força da gravidade. Compreende uma mistura mecânica estável de gases sendo que os mais importantes são: nitrogênio, oxigênio (que perfazem cerca de 100% do volume), argônio, dióxido de carbono, ozônio e vapor d´água. Há ainda outros gases em quantidades muito pequenas: neônio, criptônio, hélio, metano, hidrogênio, et. A atmosfera se estrutura em três camadas relativamente quentes separadas por duas camadas relativamente frias, a saber: troposfera, estratosfera, mesosfera, termosfera e exosfera.

Autoridade Nacional Designada
No Brasil é a Comissão Interministerial de Mudança Climática. Tem por objetivo aprovar ou não os projetos de MDL no país hospedeiro. Em outras palavras, essa entidade deverá definir se tais projetos estão cumprindo com seu objetivo duplo: redução das emissões de GEE e/ou remoção de CO2 atmosférico; e a promoção do desenvolvimento sustentável.

Biogás
Mistura gasosa composta principalmente por metano (CH4) e gás carbônico (CO2), além de vapor de água e outras substâncias, que constitui efluente gasoso comum dos aterros sanitários, lixões, lagoas anaeróbias de tratamento de efluentes e reatores anaeróbios de esgotos domésticos, efluentes industriais ou resíduos rurais, com poder calorífico aproveitável, que pode ser usado energeticamente;

Biomassa
Material de origem biológica, viva ou morta, vegetal ou animal. Resultante da combinação de hidratos de carbono, sol e água. Pode ser utilizada como biocombustível.

BP (Brazilian proposal)
Proposta brasileira apresentada em 1997 que diz respeito à divisão histórica da responsabilidade das diferentes nações no que se refere ao aquecimento global. De acordo com esta proposta a contribuição histórica dos países desenvolvidos representam cerca de 84% das emissões derivadas do sistema energético. No lugar de simplesmente contabilizar as emissões anuais de cada país a proposta brasileira visa fazer um inventário destas emissões históricas e atribuir as responsabilidades proporcionalmente. A proposta desencadeou um debate científico e metodológico sobre a contabilização destas emissões.

Cap and trade system
Sistema de comércio de emissões, onde as emissões totais são limitadas.

CH4. (Metano)
Este gás do efeito estufa é gerado pela lavoura do arroz, pela criação intensiva de gado e pelo processamento de lixo.O metano é 21 vezes mais efetivo em termos do efeito estufa do que o CO2.

GHG (greenhouse gases)
Gases de efeito estufa: CO2, CO, NOX, N2O e CH4

Certificação
Confirmação escrita pela Entidade Operacional Designada, que durante um período específico, uma determinada atividade alcançou a redução das emissões antropogênicas de GEE, como verificado.

Ciclo de vida
Exame do ciclo de vida de um produto, processo, sistema ou função, visando identificar seu impacto ambiental no decorrer de sua existência, incluindo desde a extração do recurso natural, processamento, transformação em produto, transporte, consumo, reutilização, reciclagem, até a sua disposição final.

Clima
Conjunto de estados de tempo meteorológico que caracteriza uma determinada região durante um grande período de tempo, incluindo o comportamento habitual e as flutuações, resultante das complexas relações entre a atmosfera, geosfera, hidrosfera, criosfera e biosfera.

CO2. (dióxido de carbono)
Este gás do efeito estufa é gerado principalmente na queima de combustíveis fósseis como carvão, óleo e gás. O carvão libera a maior quantidade de C02 por unidade de energia. A segunda maior fonte de dióxido de carbono são as queimadas.

CO2 equivalente (CO2eq)
Como os gases do efeito estufa têm efeitos diversos no clima, foi preciso estabelecer uma padronização. O carbono equivalente é calculado multiplicando-se a quantidade de emissões de um determinado gás multiplicado pelo seu efeito no clima. Um exemplo: o metano tem 21 vezes mais impacto no clima do que o CO2. Por isto, 1 tonelada de metano correspondem a 21 toneladas de CO2 equivalente.

Comércio com direitos de emissão
Mais um mecanismo flexível que prevê que um país pode comprar uma parte de seus compromissos de redução no mercado de carbono. O princípio teórico se fundamenta na suposição de que as reduções devem ser feitas onde é mais barato. Assim, um país A poderia reduzir mais do que deve um país B, por outro lado, um pouco menos. O país B pode comprar os direitos de emissão do país A e desta forma cumprir suas metas de redução de emissões.

Compesação de carbono ou Offset
Representa a redução das emissões de gases do efeito estufa, através da compra de créditos de carbono ou do financiamento de projetos exteriores às atividade de uma empresa, indústria ou país.

COP (Conferência das Partes)
Nome dado as reuniões dos Países (Partes) signatários da Convenção do Clima, que entrou em vigor em março de 1994 e conta, atualmente, com 186 Partes. Desde 1995 as Partes se reúnem para discutir o problema do efeito estufa e tentar encontrar soluções para as questões apresentadas. Até o momento, foram realizados dezesseis encontros, denominados Conferências das Partes (COP).

CQNUMC (Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima) ou UNFCCC - (United Nations Framework Convention on Climate Change)
Adotada em maio de 1992, estabelecendo, como objetivo final, a estabilização das concentrações atmosféricas de Gases de Efeito Estufa em níveis seguros dentro de um prazo que permita aos ecossistemas adaptarem-se naturalmente à mudança do clima. Através dessa Convenção, que entrou em vigor em 1994, contando com a participação de 186 países e a União Européia, as Nações Unidas reconheceram as Mudanças Climáticas como um problema real e global. Dentre os compromissos esperados, a CQNUMC estabelece como princípio, a necessidade do compartilhamento do ônus na luta contra a mudança do clima.

Desenvolvimento Sustentável
O desenvolvimento que pode ser considerado socialmente includente, ecologicamente sustentável e economicamente viável, garantindo igual direito para as futuras gerações.

Efeito estufa
Propriedade física de gases (vapor d’água, dióxido de carbono e metano, entre outros) em absorver e reemitir radiação infravermelha, de que resulte aquecimento da superfície da baixa atmosfera, processo natural fundamental para manter a vida na Terra.

Emissões de GEE
Liberação de gases de efeito estufa, aerossóis e/ou seus precursores na atmosfera, e em área específica e período determinado.

Estoque de Carbono
A quantidade absoluta de carbono contida em um reservatório em um momento específico.

Evento climático extremo
Evento raro em função de sua freqüência estatística em determinado local.

Fatores climáticos
Condições físicas ou geográficas que condicionam o clima interagindo nas condições atmosféricas, tais como a latitude, altitude, as correntes marítimas, a distribuição das terras e mares, a topografia, a cobertura vegetal, etc.

Fonte de emissões de GEE
Processo ou atividade que libera gás de efeito estufa, aerossol ou precursor de gás de efeito estufa na atmosfera.

Fotossíntese
Nem todos os seres vivos têm capacidade de produzir compostos orgânicos a partir de carbono não orgânico. Somente os chamados autótrofos (produtores), em sua maioria, utilizam a luz solar como energia para a síntese (produção). Os outros organismos, denominados heterótrofos (consumidores ou decompositores) dependem basicamente da existência dos primeiros para a sua sobrevivência.
Os seres autótrofos são todos vegetais. Os heterótrofos são os animais e alguns grupos vegetais, como os fungos (cogumelos, mofos, levedos) e muitas bactérias.
Os autótrofos têm um pigmento verde, a clorofila que, exposta à luz do sol, transforma o gás carbônico em alimento (compostos orgânicos), liberando o oxigênio. É o processo da fotossíntese que, para ser realizado, depende também da água.
A vida no nosso planeta depende, assim, da existência da luz, da clorofila e da água. Há exceções: algumas bactérias que sintetizam compostos orgânicos empregando a energia resultante de reações químicas que provocam no meio; mas isso é inexpressivo, em face da fotossíntese.

Florestamento
Implantação de florestas através de plantio, semeadura e/ou a promoção humanamente induzida de fontes naturais de sementes em áreas onde estas não existiam anteriormente.

Gases de efeito estufa - GEE
Constituintes gasosos da atmosfera, naturais e antrópicos, que absorvem e reemitem radiação infravermelha sendo identificados pela sigla GEE.

Implementação conjunta ou Joint Implementation (JI)
Modalidade de acordo negociada bilateralmente. de execução conjunta entre países integrantes do Anexo I. Através do Joint Implementation (JI) um país industrializado emissor de gases de efeito estufa pode compensar suas emissões participando de sumidouros e projetos ambientalmente otimizados em outro país do Anexo I, com vistas à obtenção de menores custos de implementação produzindo bens e serviços originais e emitindo em menores proporções se comparado à implementação de um projeto não otimizado.

Inventário de emissões
Levantamento, em forma apropriada e contábil (fonte e remoção), das emissões de GEE gerais e individuais.

IPCC (Intergovernmental Panel on Climate Change ou Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas)
Estabelecido em 1988 pela Organização Meteorológica Mundial (WMO) e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) para fornecer informações científicas, técnicas e sócio-econômicas relevantes para o entendimento das mudanças climáticas. Seus impactos potenciais e opções de adaptação e mitigação. É um órgão intergovernamental aberto para os países membros do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e da Organização Meteorológica Mundial (OMM).

Linha de base
Cenário para atividade de redução de emissões de gases de efeito estufa, o qual representa, de forma razoável, as emissões antrópicas que ocorreriam na ausência dessa atividade.

LULUCF (Land Use, Land Use Change and Forestry)
Uso do Solo, mudanças no uso do solo e florestas. São atividades a serem desenvolvidas pelos países para auxiliar no cumprimento das metas do protocolo de Quioto.

MDL (Mecanismo de Desenvolvimento Limpo) ou CDM. Clean Development Mechanism
Um dos mecanismos de flexibilização criado pelo Protocolo de Quioto, pelo qual os países do anexo 1 podem financiar projetos para redução de emissões em outro país não-anexo 1 podendo contabilizar esta redução para efeito do cumprimento de suas metas.

Mecanismos de flexibilização
Permitem que um país Anexo I adquira unidades de redução de emissão de gases de efeito estufa, seja por intermédio de aquisição direta, seja por intermédio de investimentos em projetos em outros países.

Meio ambiente
Conjunto dos agentes físicos, químicos, biológicos e dos fatores sociais, suscetíveis de exercerem um efeito direto ou indireto, imediato ou a longo prazo sobre todos os seres vivos.

Mercado de carbono
Transação de créditos de carbono por meio de mecanismos voluntários ou obrigatórios.

Mercado Obrigatório/Regulatório
Se traduz na existência da obrigatoriedade de atendimento às metas de redução dos gases que provocam o efeito estufa. Os créditos de carbono são adquiridos para atingimento de metas de redução. É regido por um conjunto de diretrizes e normas como, por exemplo, o Protocolo de Quioto.

Mercado Voluntário
Os compradores adquirem os créditos de carbono de acordo com sua conveniência: Responsabilidade Socioambiental, Posicionamento Competitivo/Marketing ou Investimento Financeiro (já prevendo um futuro “mercado regulador”).

Mitigação
Ação para reduzir as emissões por fontes ou ampliar os sumidouros de gases de efeito estufa.

Modelos climáticos
Modelos computacionais que tentam replicar de forma matemática o clima na Terra e fazer previsões sobre as alterações climáticas com uma maior concentração de gases do efeito estufa na atmosfera.

Mudança do clima
Mudança que possa ser direta ou indiretamente atribuída à atividade humana que altera a composição da atmosfera e se some àquela provocada pela variabilidade climática natural, observada ao longo de períodos comparáveis.

NAMAs
A sigla vem da expressão em inglês "Nationally Appropriate Mitigation Actions", que significa Ações Nacionais de Mitigação Apropriadas às realidades Nacionais. Definido no parágrafo 1(b) (ii) do Plano de Ação de Bali é um conjunto de medidas de caráter político, regulatório ou financeiro que devem ser definidas por países em desenvolvimento com o objetivo de mitigar as mudanças climáticas de maneira consistente com as circunstâncias nacionais de cada um e de acordo com as responsabilidade históricas.

As Namas devem ser anunciadas publicamente e é importante que sejam mensuráveis, reportáveis e verificáveis por outros países.

Neutralidade em carbono
Compromisso voluntário, assumido por qualquer tipo de instituição, que envolve a redução das emissões de gases do efeito estufa por meio de medidas internas ou através da compra de compensação de carbono.

Pagamento por serviços ambientais – PSA
Retribuição, monetária ou não, às atividades humanas de restabelecimento, recuperação, manutenção e melhoria dos ecossistemas que geram serviços ambientais e que estejam amparadas por planos, projetos e programas específicos

Permanência
Longevidade de um reservatório de carbono e a estabilidade de seus estoques.

Protocolo de Quioto
Teve origem na 3° reunião das partes da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCCC - United Nation Framework on Climate Change), na cidade de Kyoto, Japão, em dezembro de 1997. Tem como objetivo a estabilização da concentração dos gases do efeito estufa na atmosfera, ditando assim, metas de redução da emissão desses gases, assim como prazos e metodologias para este fim. O tratado entrou em vigor no dia 16 de fevereiro de 2005, depois da decisão russa de ratificá-lo.

Reduções Certificadas de Emissões (RCEs)
Representam as reduções de emissões de gases de efeito estufa decorrentes de atividades de projetos elegíveis para o MDL. AS RCEs podem ser utilizadas por países do Anexo I como forma de cumprimento parcial de suas metas de redução de emissão de gases de efeito estufa.

REDD
Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal,

REDD+
Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal, Conservação, Manejo Florestal Sustentável, Manutenção e Aumento dos Estoques de Carbono Florestal, passíveis de compensação financeira.

Reflectância
Propriedade apresentada por um objeto de refletir a energia radiante.

Reflorestamento
É a conversão, induzida diretamente pelo homem, de terra não-florestada em terra florestada por meio de plantio, semeadura e/ou a promoção induzida pelo homem de fontes naturais de sementes, em área que foi florestada, mas convertida em terra não-florestada. Para o primeiro período de compromisso do Protocolo de Quioto, as atividades de reflorestamento estarão limitadas ao reflorestamento que ocorra nas terras que não continham florestas em 31 de dezembro de 1989.

Reservatórios
Componentes da biosfera na qual fica armazenado gás de efeito estufa ou precursor de gás de efeito estufa.

SBSTA – (Subsidiary Body for Scientific and Technological Advice)
Órgão Subsidiário de Assessoramento Científico e Tecnológico, órgão técnico da Convenção do Clima.

Seqüestro de carbono
Captura de CO2 da atmosfera pela fotossíntese, também chamado fixação de carbono.

Serviços ambientais
Serviços desempenhados pelo meio ambiente que resultam em condições adequadas à sadia qualidade de vida, constituindo as seguintes modalidades:

a) serviços de aprovisionamento: serviços que resultam em bens ou produtos ambientais com valor econômico, obtidos diretamente pelo uso e manejo sustentável dos ecossistemas;
b) serviços de suporte e regulação: serviços que mantêm os processos ecossistêmicos e as condições dos recursos ambientais naturais, de modo a garantir a integridade dos seus atributos para as presentes e futuras gerações;
c) serviços culturais: serviços associados aos valores e manifestações da cultura humana, derivados da preservação ou conservação dos recursos naturais.

Sumidouro
Qualquer processo, atividade ou mecanismo, incluindo a biomassa e, em especial, florestas e oceanos, que tenha a propriedade de remover gás de efeito estufa, aerossóis ou precursores de gases de efeito estufa da atmosfera.

Vazamentos
Emissões antrópicas de GEE, que ocorre fora dos limites de um determinado projeto e que a este é atribuída.

Vulnerabilidade
Grau de suscetibilidade e incapacidade de um sistema em lidar com os efeitos adversos da mudança do clima, entre os quais a variabilidade climática e os eventos extremos.

 

 

Voltar  |  Principal
Disque Denúncia
SEMA-MT

Telefone: (65) 3613-7200

Palácio Paiaguás, Rua C, CEP: 78.049-913 - Cuiabá - Mato Grosso

CNPJ: 03.507.415/0023-50